Colômbia: San Andres, Providencia e Santa Catalina.


   Sempre tive vontade de conhecer as praias do Caribe e, especialmente, a parte colombiana. Amigos que foram para San Andres e Providencia sempre trouxeram impressões positivas e recomendações como um ótimo destino para uma viagem.

San Andres

   Realmente, no quesito praias, as ilhas de San Andres e Providencia/Santa Calina são verdadeiros paraísos. Confesso que me encantei com a cor do mar e mais: com as variações de cores. Pude constatar que San Andres merece o título de "Mar de sete cores".

   O arquipélago de San Andres está localizado a 775 km da costa da Colômbia e a 191 km da costa da Nicarágua. A ilha de San Andres é a maior das ilhas e Providencia a segunda em tamanho.

   Foram oito dias de viagem e no geral pegamos dias ensolarados e temperaturas altas. Aliás a temperatura alta é o comum por lá. A nossa viagem foi feita na última quinzena de maio, período em que começam as chuvas na ilha. A sorte estava do nosso lado e só pegamos chuva em poucos dias e, mesmo assim, pancadas rápidas no final do dia.

Não é lindo este mar?

Providencia em um fim de tarde

San Andres

   Se você estiver com vontade de conhecer o Caribe colombiano, algumas dicas são preciosas:

1) Uma coisa me deixou bastante irritada durante a viagem: o assédio com os turistas. Na hora de fechar  passeios, pegar um táxi ou comprar qualquer coisa o conselho é sempre negociar e confirmar se o preço que será cobrado é o que foi combinado. Em Providencia fechamos passeio de barco diretamente com os barqueiros da região e o preço cobrado inicialmente até o preço final reduziu muito! Fique esperto, também, quando for fazer compras com cartão de crédito. San Andres é zona livre de impostos e a procura por eletrônicos, bebidas e cosméticos é grande. Algumas lojas vão querer te "seduzir" e dizer que a compra com cartão de crédito pode ser parcelada, mas... Acredite: virá tudo a vista na sua próxima fatura. Digo isso de experiência própria.

2) Dinheiro: troque seu dinheiro em Bogotá. Em San Andres só se consegue trocar reais e euros por peso colombiano na casa de câmbio do aeroporto, porém o valor é bem abaixo do valor pago em Bogotá. Portanto, troque seu dinheiro em Bogotá. Além do aeroporto em San Andres, há uma casa de câmbio na região central da ilha (BanColombia), mas lá só aceitam dólar. Há diversas pessoas que trocam dinheiro na rua de forma, claro, "oficiosa". Não troquei com nenhuma delas e não sei dizer se são confiáveis ou não.

3) Hospedagem: em San Andres nos hospedamos em Hostel e em Providencia na casa de um "nativo" que funciona como uma espécie de hostel também. Ambas as reservas foram feitas pelo Booking. com . Estávamos em um grupo de seis pessoas e a hospedagem ficou bem em conta.

Hostel El Viajero: Hostel em San Andres e com uma localização excelente. Fica bem na região central da ilha e muito próximo do comércio, aeroporto, porto de onde saem os principais passeios. Outro ponto positivo do hostel é a equipe da recepção, sempre muito simpáticos e disponíveis.
A limpeza dos quartos e banheiros deixa a desejar e o café-da-manhã é muito ruim. O wifi também é precário.

Betitos Place: Nossa hospedagem em Providencia. Tinha o ponto alto de ter uma vista simplesmente incrível. Casa localizada bem no alto de uma encosta e você tem que ter muita disposição para subir as escadas que te levam até o quarto. Não há wifi como mencionado no site e fique atento ao pagar a diária: no booking há a informação de que podemos pagar com cartão de crédito, porém o dono irá cobrar uma taxa de serviço para poder usar o cartão . Não aceite, claro. A casa também fica  distante do porto e a filha do proprietário nos buscou e não cobrou pelo serviço. Dica: mande e-mail e pergunte sobre o transfer.

Nossa varanda em Providencia!


4) San Andres é sempre quente! Leve pouca roupa. Acredite: você estará com roupa de banho a maior parte do tempo. Afinal... Lá "só tem praia"! hehehe Snorkel é equipamento essencial, pois qualquer praia terá águas límpidas e muitos peixes para admirar. Outro objeto indispensável é o sapato para entrar na água. As praias possuem muitas pedras e o sapato é bem útil se não quiser correr o risco de cortar os pés. Se não tiver ou não quiser levar é bem fácil achar nas lojas de lá, tanto o snorkel quanto o sapato.
Ah! Leve um adaptador porque lá o padrão é aquele plugue com dois pinos achatados e paralelos.

 
Snorkel para admirar esta beleza!

   Para entrar nas ilhas de San Andres, Providencia e Santa Catalina é obrigatório pagar uma taxa de turismo no valor de 20 dólares. No nosso caso, pagamos esta taxa no guichê da companhia aérea no aeroporto de Bogotá. É possível pagar com cartão de crédito.
   No próximo post irei escrever sobre nossos passeios na ilha de San Andres, mas já adianto que foram dias incríveis podendo desfrutar daquele mar de sete cores!




Gornergrat e o Matterhorn


   Jungfraujoch e Matterhorn foram os pontos altos da minha viagem à Suíça. Já escrevi sobre o Jungfraujoch e agora chegou a vez do Matterhorn: a montanha mais linda dos alpes na minha modesta opinião e que se localiza na fronteira da Suíça com a Itália.

Matterhorn
   A montanha também é famosa por dar o formato do chocolate toblerone. Como não gostar?! Chocolate, montanha e neve! Combinação perfeita.
   O ponto de partida para conhecer o Matterhorn é a cidade de Zermatt e, para isso, você pode optar por dois passeios: Gornergrat e Glacier Paradise. Fiz os dois e neste post vou escrever sobre o Gornergrat bahn, o trem que nos leva até Gornergrat: montanha a 3.089 metros.  Em ambos os passeios temos a vista privilegiada do Matterhorn, porém de pontos diferentes.
   Fiz questão de fazer o Gornergrat bahn primeiro porque todas as pessoas a quem perguntei foram unânimes ao dizer que este proporciona a melhor vista da montanha. Para o dia seguinte a previsão era de tempo fechado e chuva, mais um motivo para aproveitar a melhor vista com um belo céu azul.

Gorergrat bahn: o trem que nos leva até ao Gornnergrat
   Saímos da estação de Zermatt e, até chegar à estação final, Gornergrat, fazemos quatro paradas.  O movimento de esquiadores é intenso, pois em todas as paradas há estações de esqui. Aliás, a neve e o esqui na Suíça é como se fosse a praia para o carioca: faz parte da rotina!
   O ingresso do Gornergrat bahn te dá acesso a todas as estações, mas a nossa a ansiedade era tanta que preferimos, primeiro, ir até a última e ver logo a montanha!
   Como já disse, Gornergrat fica a 3.089 metros e o Matterhorn a 4.478, sendo um dos cumes mais altos dos Alpes.
   Quando chegamos e "demos de cara" com aquela vista perfeita e um céu intensamente azul tivemos certeza de que valeu a pena ir para Zermatt.
   A estrutura lá em cima é mais simples que a do do Jungfraujoch onde encontramos mais opções de lojas e restaurantes. No entanto, há mais espaço livre para circulação e o frio é bem menos intenso que no topo da Europa. Pelo menos no dia em que estivemos por lá não ventava, fato que contribuiu e muito para ficarmos por horas sentadas e só contemplando a montanha! Lindo demais!

Movimento grande de esquiadores
Trem chegando na estação final
Inesquecível
Matterhorn
Se você quiser e tiver $$, pode se hospedar neste hotel para admirar o Matterhorn bem de pertinho. Pela manhã o seu cume possui uma cor alaranjada e muitos turistas se hospedam aí para observá-lo.
Fiquei horas sentada e só olhando!
   Após ficarmos sentadas e olhando/admirando o Matterhorn, ainda sobrou tempo para brincar com a neve e fazer um boneco, claro. A dica é levar um lanche, pois os preços lá em cima são mais salgados.
   Depois de brincar um pouco, descemos até a estação Rotenboden e, para variar, lá também encontramos estações de esqui. Para quem gosta há um "esquibunda" e se topar a aventura vai descer até a estação de Riffelalp, nossa próxima parada. Minha amiga topou o esquibunda e eu preferi tomar o trem até Riffellalp e esperá-la.

Nosso boneco de neve também admirou o Matterhorn! hehehe
Ficou bonitinho :)
Outro ângulo de Gornergrat: céu azul e os alpes!
Vista de Rotenboden
Rotenboden
Riffelalp
Riffellap
   E o nosso dia foi perfeito: céu azul e lindas paisagens! A Suíça é encantadora e surpreendente sempre.
   Quanto custou: com o Swis Pass temos 50% de desconto - 43,00 francos suíços.
    

Subindo o Jungfrau: o topo da Europa!


Jungfraujoch: o topo da Europa
   Ontem, ao contar sobre esta viagem, me perguntaram qual tinha sido o seu ponto alto e, sem sombra de dúvidas, a minha resposta foi: subir o Jungfraujoch.
   Quando comentei que ir para a Suíça é caro, mas que vale a pena cada centavo gasto, certeza de que isto inclui ir até o topo da Europa. Durante a viagem conversei com algumas pessoas que ainda tinham dúvida se valeria a pena ir até lá, mas o que posso contar é que foi a coisa mais legal que fiz no País. E olha que gostei de praticamente tudo!
   O Jungfrau é uma montanha que faz parte dos Alpes da região do Vale de Grindelwald e seu cume chega a 4.000 metros. O passeio, feito através do Jungfraubahn que é a estrada de ferro que conduz o trem, nos leva até a estação de Jungfraujoch. Este é o ponto mais alto da Europa em que podemos chegar de trem. E ali temos a incrível vista destes enormes Alpes, uma das coisas mais bonitas que já vi na vida!

Como chegar:

   O início da subida se dá pelas estações de trem de Interlaken. São duas estações na cidade: Interlaken Ost e Interlaken West e, de uma delas, você pegará o trem em direção a Lauterbrunnen ou Grindelwald.
   O ideal é sair bem cedinho e subir por uma cidade e descer por outra para poder conhecê-las e dar uma voltinha antes e depois da subida ao topo. Eu escolhi subir por Lauterbrunnen, mas não circulei por lá. A ansiedade era muita para começar a jornada até o topo da Europa. 
  Ao chegar em Lauterbrunnen ou Grindewald tomamos outro trem que segue para Kleine Scheidegg e a partir daí este trecho não é mais coberto pelo Swis Pass. Na estação de trem de Lauterbrunnen compramos o nosso bilhete de acesso para o Jungfrau e partimos para Kleine Scheidegg.

Em Kleine Scheidegg: ali estava bem "fresquinho": -6,5º depois piorou! rs
Estação de trem em Kleine Scheidegg
A viagem de trem passa por vários túneis e paradas para observação
   Ao tomar o trem em Kleine Scheidegg começamos a viagem em direção ao Jungfraujoch, mas até se chegar lá fazemos várias paradas para observação dos Alpes. Somos apresentados aos poucos e, a cada subida, a vista vai ficando mais bonita.
   Kleine Scheidegg fica a 2.061 metros e o Jungfraujoch esta a 3.454 metros.
   Ao chegar no Jungfraujoch fazemos um percurso com algumas paradas como exibição de um pequeno filme sobre o local, terraço que possui vista para a cadeia de alpes da região, palácio de gelo (achei sem graça), snow fun (que estava fechado na data em que fui ), sendo a principal parada o Glacier Plateau, local onde podemos andar por um trecho da montanha e pisar na neve a 3.454 metros!!

   É sensacional chegar até aquela altura e dar de cara com toda aquela neve e alpes. A sensação de liberdade é total. Colaborou o fato do tempo estar bom e o céu muito azul.  A vista ficou perfeita!
   O "problema" é o vento.... Ahhhh o frio era grande! Tirar a luva por alguns segundos para tirar uma foto já era o suficiente para se congelar os dedos. Temperatura de -12!!!

No terraço somos apresentados a isso!!
Perfeito
Olha isso que eu vi! Ahhh o meu Rio de Janeiro!
Ainda do terraço
Palácio de gelo: achei bem sem graça
Chegando no Glacier Palteau
Alpes e neve
Podemos caminhar por um trecho da montanha e sentir a neve!
Frio e muito vento!
    Apesar do frio e do vento, após a primeira parada no Glacier Plateau, não resisti e retornei para ficar mais um pouco. Afinal, não é todo dia que estamos no topo da Europa.Virei criança e nem percebi que estava congelando. hehehe









   No local há restaurante, lanchonete e a loja de chocolate da Lindt. Preferi economizar e levar um lanche, pois a ordem na Suíça é sempre poupar, quando possível... rs No geral os chocolates da lindt custam o mesmo preço nos mercados e não achei vantajoso comprar lá.

Loja da Lindt
Lindt
Paraíso
   Depois de passar um tempo no Jungfraujoch, chegou a hora de descer e conhecer Kleine Scheidegg. Nos deparamos com as estações de esqui e o movimento é grande de gente chegando e saindo para esquiar. A paisagem de lá também é linda e podemos fazer uma caminhada pela neve e observar as pessoas esquiando.

O movimento para o esqui é grande





Ficou tosco, mas foi o meu primeiro boneco de neve! 
   Ainda fiz uma parada em Grindewald, cidadezinha nos pés dos alpes. Foi uma volta rápida porque eu estava literalmente congelada com o frio e vento que peguei no Jungfraujoch. rs A alma carioca nestas horas aumenta o frio, que já é intenso.
   Grindelwald também possui todo o movimento de esquiadores, muitos se hospedam lá para poderem acessar as estações da região.

Bem pequena a cidade.
Frio
Preço:

   O Swiss Pass dá 25% de desconto e o valor do bilhete ficou por 135 francos suíços.

   E assim foi o meu dia e com certeza foi um dos melhores na Suíça. 
 

Roteiros da Lu Copyright © 2012 Tema base de Ipietoon | Design por Bruberries